Tudo sobre as Eleições 2018

Candidata Marina Silva 18

Historiador, REDE

Dados da candidata

Nome na urna: Marina Silva
Número: 18
Situação da candidatura: Deferido (Apto)
Fonte: TSE. Atualizado em 10/10/2018 12:52
Vice: Eduardo Jorge (PV)
Estado: BRASIL
Partido: REDE - Rede Sustentabilidade
Coligação: UNIDOS PARA TRANSFORMAR O BRASIL
Composição: REDE / PV

Resultado da Apuração

Candidata ao cargo de Presidente do Brasil pelo REDE, Marina Silva obteve 1.069.577 votos (1,00% dos votos válidos) mas não foi eleita nas Eleições 2018.

Situação: Não foi eleito
Votos: 1.069.577 (1,00% dos válidos)
Resultado Completo: Presidente do Brasil
Santinho Marina Silva 18 (REDE) Presidente | Brasil | Eleições 2018
Compartilhe este candidato

Atualizado em 10/10/2018 12:52 com dados do TSE. Encontrou alguma informação incorreta? Veja aqui como proceder.

Últimas notícias sobre Marina Silva

Últimos Gráficos: Presidente

+ Todos os gráficos

Programa de governo da candidata Marina Silva

MS18-Diretrizes-Marina-Edu.pdf
Veja o programa de todos os candidatos

Propostas da candidata Marina Silva

Veja o que pensa Marina Silva, candidata do REDE a Presidente nas Eleições 2018, em áreas como saúde, economia, educação e segurança

  • Corrupção

    1. Seremos um governo aberto e digital, pautado pela participação, pela transparência e pelo uso das novas tecnologias de informação e comunicação na busca de serviços públicos mais eficientes e de melhor qualidade.
    2. criação de um Conselho Nacional de Transparência Ativa, que regulamentará e fiscalizará a forma como os dados serão publicados, para que sejam efetivamente acessíveis e úteis à sociedade
    3. Aumentaremos a transparência e a inteligência do Estado, blindaremos os órgãos de controle interno de nomeações políticas e aplicaremos a exigência de ficha limpa para ocupação de cargos no serviço público
    4. Proporemos, ainda, a criminalização do caixa dois eleitoral e do enriquecimento ilícito de agentes públicos, o fim do foro privilegiado e da indicação política para órgãos de controle externo e a extinção da aposentadoria compulsória para juízes e procuradores como pena
  • Costumes

    1. O Conselho Nacional de Justiça regulamentou a celebração de casamento civil de pessoas do mesmo sexo, através da Resolução 175/13. Acataremos a demanda de que os direitos decorrentes dessa decisão sejam protegidos por lei.
    2. Em casos de adoção, defendemos que seja oferecido tratamento igual aos casais adotantes, com todas as exigências e cuidados iguais para ambas as modalidades de união, homo ou heteroafetiva, atendendo à prioridade de garantir o melhor interesse da criança.
  • Cultura

    1. Aproximação entre educação e cultura
    2. A política cultural deve fomentar a produção e o acesso à cultura e à arte, em suas diversas manifestações e em interface com a educação. Deve, também, garantir a proteção do patrimônio histórico, para as presentes e futuras gerações
    3. O acesso a espaços e atividades culturais é uma das principais demandas dos jovens e precisa ser democratizado, chegando aos municípios e diferentes regiões das grandes cidades
    4. Para democratizar o acesso a cultura, promoveremos a educação artística, transformando a escola em espaço de ensino e difusão de arte e cultura e revitalizaremos os pontos de cultura.
    5. A produção cultural e artística será estimulada e apoiada, com a intensificação dos percursos de circulação de artistas pelo país, o fomento à produção cultural por meio de editais, bolsas e premiações e o estímulo à produção audiovisual
    6. Nos comprometemos a oferecer condições de funcionamento a museus, arquivos e bibliotecas; valorizar os registros escritos, sonoros e visuais de tradições orais e da produção contemporânea; e realizar tombamentos, a preservação e revitalização ambiental.
    7. Assumimos o compromisso com a plena garantia do direito à liberdade de expressão que será promovido e respeitado em todas as suas dimensões, incluindo a liberdade de imprensa e o direito à comunicação, direito de cada cidadão de informar, se informar e ser informado
  • Economia

    1. Seu programa de governo inclui a recuperação do tripé da economia macroeconômica, com câmbio flutuante, meta de inflação e superávit primário.
    2. Seu projeto de Reforma Tributária tem como objetivo reduzir os impostos dos mais pobres e retirando, por exemplo, tributos da cesta básica. Também defende a criação de um único imposto e a descentralização, para que os prefeitos tenham os recursos necessários para a saúde, educação.
    3. Defende alterações na Reforma Trabalhista, como a possibilidade de a mulher grávida trabalhar em situação de risco e a questão do trabalho intermitente.
    4. Privatizar a Eletrobras, mas contra a privatização da Petrobras e Banco do Brasil.
    5. Aumentar a tributação sobre herança.
    6. Contra o teto de gastos.
    7. Banco Central deve ter autonomia para definir a política monetária.
    8. Não tributar a cesta básica.
    9. Reduzir impostos sobre medicamentos.
    10. A candidata é contra o que chama de privilégios para a indústria no país. "A indústria tem que fazer o dever de casa. Não dá para continuar com privilégios, subsídios, que só levam o nosso país, cada vez mais, a definhar em um setor estratégico para nosso desenvolvimento de renda".
    11. Não privatizaremos a Petrobrás, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. A privatização da Eletrobrás será analisada no contexto da política energética nacional, que deverá modernizar suas estratégias a fim de incorporar as energias renováveis, mas suas distribuidoras certamente deverão passar para a iniciativa privada.
    12. A abertura da economia, realizada de forma programada e organizada, e a integração com as cadeias produtivas internacionais são medidas fundamentais para promover a eficiência e a produtividade
    13. Vamos incentivar o aumento de nossa capacidade de exportação, tanto da indústria, como de serviços e de commodities, com a reforma e atualização do regime de comércio exterior, definição de um cronograma de redução de tarifas e barreiras não-tarifárias, redução dos obstáculos de natureza burocrática e desoneração das exportações
    14. Lideraremos uma agenda para dinamizar a economia, por meio da melhoria do ambiente de negócios, facilitando a abertura e fechamento de empresas, desburocratizando processos, reduzindo a insegurança jurídica e as incertezas regulatórias,  conferindo maior autonomia decisória e financeira às agências reguladoras e promovendo a inovação
    15. Estimularemos e apoiaremos o empreendedorismo
    16. Investiremos no estabelecimento de um ambiente de segurança jurídica no setor para atrair investidores e consolidar uma matriz elétrica sustentável que incorpore suas externalidades e produza o menor custo de investimento e de operação possível.
    17. Adotaremos uma estratégia de negociação que permita ampliar significativamente o número de concessões nos diferentes modais, incluindo a renegociação dos contratos da malha ferroviária concedida, permitindo o aumento de investimentos, melhorando o desempenho e incluindo a garantia de compartilhamento das vias. No caso dos aeroportos, lançaremos pacotes de licitação que permitam equilíbrio entre aeroportos lucrativos e deficitários e finalizaremos restruturação da Infraero
    18. Promoveremos uma revisão completa das renúncias fiscais, que representaram mais de 4% do PIB em 2017, e suspender a criação de Refis, que levaram a uma perda superior a R$ 175 bilhões aos cofres públicos nos últimos dez anos e não se mostraram instrumentos eficazes para a recuperação dos créditos tributários, para aumentar a arrecadação ou promover a regularidade fiscal dos devedores
    19. É imperativo, também, promover a reforma tributária para reduzir a complexidade e a insegurança jurídica, que dificultam o estabelecimento de um ambiente favorável aos negócios e ao empreendedorismo, com a implantação do IBS (Imposto sobre Bens e Serviços), reunindo cinco tributos PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS
  • Educação

    1. Ampliação da oferta de creches para crianças de 0 a 3 anos dos atuais 30% para 50% em todo o país
    2. Universalização da educação infantil, na faixa etária de 4 a 5 anos, em cumprimento às metas do Plano Nacional de Educação (PNE)
    3. Precisamos garantir que nossos estudantes permaneçam na escola e aprendam
    4. Daremos continuidade às políticas de implementação da Base Nacional Comum Curricular para a educação infantil e o ensino fundamental, apoiando técnica e financeiramente os estados e municípios nesta missão.
    5. Reduzir o problema do atraso escolar, visando caminharmos para cumprir a meta de zerar a distorção idade/série, o mais rápido possível.
    6. Incentivaremos a expansão da educação integral, respeitando os tempos e as especificidades de cada localidade, articulando diferentes políticas setoriais e parcerias com a sociedade civil organizada, que viabilizem a oferta de espaços físicos, compartilhando responsabilidades e aprendizados.
    7. Enfrentaremos o problema do analfabetismo de cerca de 11,8 milhões de brasileiros acima de 15 anos. Essa é uma realidade que vamos mudar
    8. Investiremos em infraestrutura adequada, salas de aula e locais de convivência e apoio didático, como quadras esportivas e bibliotecas.
    9. Criaremos políticas de prevenção e combate a todas as formas de bullying , violência e discriminação dentro do Plano Nacional de Educação para - como garante a Constituição - promover o bem de todos sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, orientação sexual (LGBTIs), condição física, classe social, religião e quaisquer outras formas de discriminação.
    10. Nosso governo buscará a ampliação do acesso ao ensino superior, mantendo a política de cotas
    11. Para a garantia dos direitos da população negra e enfrentamento do racismo, serão mantidas ações afirmativas e de promoção da equidade que visem ampliar o acesso à educação superior e à terra e territórios
    12. Recriaremos o Ministério da Ciência e Tecnologia, buscando recompor seu orçamento. Trabalharemos para implementar, nos próximos quatro anos, a meta da Estratégia Nacional de CT&I de elevar os investimentos em pesquisa e inovação a 2% do PIB.
  • Estrutura de governo

    1. A composição do governo será feita com base em critérios de competência e idoneidade, com descrição de cargos e funções e publicação do currículo de todos os contratados.
  • Infraestrutura

    1. Apoiaremos os municípios com mais de 100 mil habitantes a implantarem ciclovias, pistas de corridas e caminhadas, que interliguem os espaços residenciais e os comerciais, bem como a implementação de políticas que favoreçam o uso de vias públicas para a prática de atividade física.
    2. Promoveremos iniciativas para universalizar o acesso público à banda larga, tornando a conexão à internet em serviço essencial no país, como eletricidade e água
  • Meio Ambiente

    1. Temos o compromisso em inserir a inadiável universalização do saneamento básico entre as prioridades máximas de nosso governo.
    2. Lançaremos um programa de incentivo à preservação e recuperação dos mananciais das cidades brasileiras, que estimule estados e municípios a protegerem suas principais fontes de abastecimento, vitais para a segurança hídrica da população.
    3. Serão, ainda, objeto de especial atenção a recuperação de nascentes e a revitalização de sub-bacias em áreas urbanas e periurbanas, iniciativas indispensáveis para a segurança hídrica e prevenção de doenças cujo meio de propagação seja a água - como a cólera por exemplo - dos assentamentos urbanos de qualquer tamanho.
    4. Políticas para a redução, reutilização, reciclagem dos resíduos sólidos, tendo como horizonte uma política de lixo zero, também serão priorizadas.
    5. Promoveremos a demarcação de terras indígena e o reconhecimento e titulação de terras quilombolas, retomaremos os processos de criação de Unidades de Conservação de Uso Sustentável – especialmente Reservas Extrativistas e Reservas de Desenvolvimento Sustentável, e implantaremos um sistema de compensação financeira para as comunidades tradicionais que promoverem a preservação dos recursos naturais e da biodiversidade
    6. Implementação de políticas que promovam o bem-estar dos animais no país, seja os de produção, para consumo humano, de estimação, de trabalho, selvagens ou os de laboratório. Para tanto, é necessário capacitar os profissionais que lidam com as diversas espécies e reforçar a fiscalização para coibir práticas que causam sofrimento dos animais empregados em diferentes atividades produtivas ou em pesquisa
    7. Promoveremos a efetivação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, estimulando a redução, coleta seletiva, reciclagem e disposição adequada dos resíduos sólidos
    8. Desenvolveremos políticas de mobilidade urbana que estimulem modais com baixa emissão de poluentes, geração de energia limpa, renovável e distribuída e com eficiência energética, substituição de veículos movidos a combustíveis fósseis pelos elétricos e movidos a biocombustíveis e valorização de áreas verdes.
    9. Apoiaremos os municípios a implementarem planos de contingência e monitoramento de extremos climáticos para a prevenção e mitigação dos impactos de desastres naturais como secas, alagamentos, enxurradas e deslizamentos, que afetam milhares de pessoas anualmente no Brasil.
    10. Promoveremos o alinhamento das políticas públicas, em especial as políticas econômicas, fiscal, industrial, energética, agrícola, pecuária, florestal, da gestão de resíduos e de infraestrutura, aos objetivos gerais do Acordo de Paris
    11. Criaremos um programa de massificação da instalação de unidades de geração de energia solar fotovoltaica distribuída nas cidades e comunidades vulneráveis
    12. Ampliaremos o sistema de monitoramento de desmatamento, degradação e mudanças na cobertura do solo e implementaremos medidas de financiamento e compensação, como o pagamento por serviços ambientais, mecanismos de mercado eficientes, incluindo os mercados de carbono, que estimulem iniciativas para conferir valor às florestas, com vistas a atingirmos o desmatamento zero no Brasil, no menor prazo possível, com data limite em 2030.
  • Política Externa

    1. Defende a união de países sul-americanos para dar ajuda humanitária à Venezuela.
    2. Quatro regiões do mundo são fundamentais para a política externa Brasileira: América do Sul, América do Norte, União Europeia e Leste Asiático. Com as quatro regiões devemos promover o aumento da interdependência econômica, tecnológica, politica e cultural
    3. A liderança do Brasil no tratamento multilateral do desenvolvimento sustentável será resgatada e se tornará uma marca da diplomacia brasileira. O Brasil deve estar na vanguarda das discussões internacionais em matéria de mudança do clima e biodiversidade
  • Previdência

    1. Defende a realização de uma reforma da Previdência, mas critica a condução do presidente Michel Temer. Defende que não se pode comparar trabalhadores urbanos e rurais e ataca o tempo de contribuição.
    2. Definir idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres.
    3. Defende a adoção total ou parcial do sistema de capitalização, em que não há mais o pacto de gerações. O dinheiro que o contribuinte recolhe (e a empresa também) é aplicado em uma conta (fundo) individual para aquela pessoa. O montante também é aplicado ao longo dos anos pelo administrador do fundo para que gere juros, evitando assim a corrosão pela inflação.
    4. A reforma da previdência é incontornável, o gasto total com benefícios alcança 13% do PIB, excessivamente alto para o nosso perfil etário
  • Programas Sociais

    1. Garante a manutenção de programas como Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida.
    2. Boa alimentação e reforço das relações de parentalidade, com foco no fortalecimento dos vínculos com as famílias em seus diferentes arranjos e pluralidades, serão incentivados
    3. A inclusão social para a superação da pobreza, padrões de habitação adequados e saneamento básico, são políticas que não podem mais ser adiadas.
    4. Programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, são fundamentais para atender a situação emergencial das pessoas que se veem impossibilitadas de prover suas necessidades básicas. Estes programas devem ser preservados e reconhecidos como direitos assegurados por lei e devem ser associados às condições para a inclusão produtiva e garantia do direito a oportunidades. Estudaremos, ainda, as possibilidades da implantação de programa de renda mínima universal
    5. Avançar no mapeamento e conexão com a oferta de serviços sociais comunitários e órgãos ligados ao trabalho e inclusão produtiva
    6. Fortalecemos a atuação dos CRAS e CREAS com a criação de uma rede de Agentes de Desenvolvimento Familiar
    7. As proposições do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT serão consideradas na elaboração de políticas públicas específicas
    8. Fortaleceremos programas de habitação popular, que atendam a diversidade de situações urbanas e familiares, e que respondam, em especial, às necessidades dos mais pobres, com padrões urbanísticos, arquitetônicos e ambientais adequados
  • Reforma Política

    1. Defende o fim do foro privilegiado.
    2. Defende o fim da reeleição para os cargos executivos, com mandato de 5 anos a partir de 2022. Para o legislativo, defende a reeleição por apenas dois mandatos.
    3. Defende a criação de medidas para combater e punir a corrupção.
    4. Democratização dos processos partidários, a ampliação da transparência sobre a aplicação de seus recursos e o incentivo ao papel fundamental que devem cumprir: o debate programático sobre o país
    5. Como forma de ampliar a renovação política e eliminar o monopólio dos partidos, defendemos as candidaturas independentes, permitindo que lideranças sociais não filiadas a partidos possam disputar eleições, desde que comprovem o apoio de um número mínimo de eleitores
    6. Proporemos, ainda, mecanismos para facilitar leis de iniciativa popular, como a redução do número obrigatório de apoiadores e a possibilidade de registro de assinaturas eletrônicas
    7. Defenderemos, também, a revisão das regras de financiamento de campanhas e de distribuição do tempo de propaganda eleitoral, para que haja menor interferência do poder econômico nas eleições e maior transparência e equidade entre os partidos políticos.
    8. Consideraremos, também, iniciativas de setores da sociedade que proponham a reabertura da discussão sobre o sistema parlamentarista no Brasil.
  • Saúde

    1. Nossa proposta é revolucionar a atual forma de gestão fragmentada e pulverizada substituindo-a por uma gestão integrada, participativa e verdadeiramente nacional. Para tanto, dividiremos o país em cerca de 400 regiões de saúde. A gestão será compartilhada entre a União, Estados e Municípios e envolverá as entidades filantrópicas e serviços privados. Representantes eleitos pela população dos municípios da região terão mandatos para participar da gestão
    2. Ampliaremos a cobertura da Atenção Básica, articulando esforços para melhorar o encaminhamento às especialidades, urgências e procedimentos de alta complexidade.
    3. Atuaremos para garantir que as redes de saúde atuem com eficiência nas situações de emergência, através da oferta de equipamentos adequados, profissionais especializados e utilização de recursos tecnológicos para o apoio diagnóstico e de tratamento, que sejam complementares à atenção básica, garantindo a sua resolutividade e qualidade.
    4. A garantia ao acesso a medicamentos essenciais, a promoção de seu uso racional e responsável e a ampliação do uso de medicamentos genéricos são outros importantes desafios a serem enfrentados
    5. Modernização dos serviços, como o agendamento de consultas por meio eletrônico e a criação de uma base única de dados do paciente, com objetivo de estabelecer um prontuário eletrônico que permita o acompanhamento integrado por diferentes profissionais da saúde
    6. Promoveremos uma melhor integração da saúde mental com a atenção básica, evitando duplicidade de sistemas e colaborando com a formação de mais profissionais. 
    7. Criaremos as condições para garantir e ampliar a oferta de tratamentos e serviços de saúde integral adequados às necessidades da população LGBTI
  • Segurança Pública

    1. É a favor do estatuto do desarmamento em vigor no país.
    2. Defende a criação de um plano nacional de segurança que contemple a integração das polícias civil, federal e militar, com inteligência e tecnologia aplicadas na atuação contra o tráfico de drogas e de armas.
    3. É contra o porte de arma.
    4. Contra a redução da maioridade penal.
    5. Nosso compromisso central é com a redução de crimes violentos, em especial os homicídios, e o combate ao crime organizado
    6. Dedicaremos esforços à implementação do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), com foco na gestão para resultados. Para isso, será elaborado, em parceria com Estados e Municípios, um Plano Nacional de Segurança, com a contribuição de especialistas de organizações da sociedade civil e das universidades, prevendo metas e indicadores de avaliação
    7. Para garantir a eficiência da atuação policial e do esforço investigativo, implementaremos um sistema de dados sobre segurança pública que contará com protocolos de comparabilidade de dados estatísticos entre os Estados e Municípios, disseminação de informações nacionais sobre criminalidade e elaboração de censos penitenciários
    8. Adotaremos as mais modernas ferramentas e metodologias de inteligência para a redução da criminalidade, priorizando o policiamento de manchas criminais e de fronteiras, com uso de tecnologia. O combate ao tráfico de drogas, armas e de pessoas e aos crimes financeiros, utilizará as técnicas de monitoramento da circulação e lavagem de dinheiro.
    9. Criaremos um conselho que articulará os diversos órgãos de inteligência estaduais e federais com foco no crime organizado e suas dinâmicas interestaduais e transnacionais, incluindo o mercado ilegal que gerou perdas de R$ 146 bilhões em 2017, resultado do contrabando, falsificação, pirataria e evasão fiscal.
    10. Aprimoraremos os sistemas de controle de fabricação, registro e rastreamento de armas e munições, integrando as informações e disponibilizando o acesso para os órgãos de investigação
    11. A eficiência e racionalização do sistema prisional serão perseguidas por meio do aprimoramento da gestão dos presídios.
    12. Apoiaremos a melhoria das condições físicas e operacionais dos presídios
    13. Implementaremos, também, uma Política Nacional de Medidas e Penas Alternativas, com subsídios técnicos para a constituição de centrais nos estados para o monitoramento e fiscalização de sua aplicação, e incentivaremos medidas que visem a redução do número de presos provisórios, a exemplo dos mutirões carcerários.
    14. Para a prevenção de reincidências criminais, será criado um Programa de Apoio aos Egressos do Sistema Prisional, que promova a reinserção social e econômica por meio de um pacto com empresários para que sejam oferecidas oportunidades reais de retorno produtivo à sociedade
    15. Em parceria com Estados e Municípios, promoveremos a ampliação das políticas de prevenção à violência contra a mulher, o combate ao feminicídio e a qualificação da rede de atendimento às vítimas.
    16. Adequação dos efetivos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, com o aprimoramento de sua capacidade operacional e com a elevação de seu nível tecnológico
    17. As Forças Armadas assumirão papel fundamental na defesa de fronteiras, no combate ao contrabando, ao tráfico de drogas, de armas e de pessoas, bem como na proteção do meio ambiente, em especial no combate à biopirataria.
  • Trabalho

    1. Aumento da inserção de mães no mercado de trabalho
    2. Valorizaremos o ensino técnico e profissional, buscando uma maior integração às demandas do mercado de trabalho, enfrentando o alto índice de evasão do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec)
    3. Nossa política social será voltada a oferecer a essas famílias e a todos os brasileiros em situação de vulnerabilidade oportunidades de trabalho e condições para atender a suas necessidades básicas de forma autônoma
    4. A criação de empregos dignos será o foco central de nossas políticas econômicas e sociais.
    5. Atuaremos para recuperar a capacidade de investimentos do Estado, priorizando obras de infraestrutura com rápida e significativa criação de empregos formais e que favoreçam as perspectivas de crescimento da economia no médio e longo prazo, em especial, obras de saneamento e transportes
  • Turismo

    1. Estimularemos a capacitação permanente de mão de obra e a articulação entre a cadeia do turismo e outras cadeias produtivas, visando a gerar novos negócios e rotas turísticas locais
    2. Ampliaremos investimentos em projetos de infraestrutura que tenham impacto positivo para o turismo e para a conservação dos recursos naturais e paisagens cênicas, com prioridade para o ecoturismo e o turismo de base comunitária como alternativas para o desenvolvimento sustentável

Marina Silva nas pesquisas

Mapa de intenção de votos da candidata Marina Silva por estado, segundo pesquisa IBOPE de agosto de 2018



Veja o mapa dos demais candidatos aqui



Interaja com o gráfico: use as setas para alterar o instituto de pesquisa


Gráficos e série histórica: analise pesquisas presidenciais e estaduais para governo e senado de vários institutos nas Eleições 2018

Todas as pesquisas candidatos

Patrimônio que Marina Silva declarou ao TSE

Item Valor declarado
TOTAL 118.835,13
Casa 60.000,00
Outros bens imóveis 42.481,50
Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) 7.159,87
Quotas ou quinhões de capital 5.000,00
Caderneta de poupança 3.900,52
Depósito bancário em conta corrente no País 293,24

Veja os bens declarados por todos os candidatos



Veja todos os candidatos a presidente

Últimas Pesquisas: Brasil

PUBLICIDADE